Importância da adesão ao tratamento

Tomar um medicamento, qualquer que seja tal como um simples analgésico, é um grande sacrifício para algumas pessoas. Por outro lado, existem aquelas que preferem sempre ter algum medicamento a mão na eventualidade de algum sintoma. Entretanto, a automedicação, sem a orientação médica adequada, deve ser evitada e desestimulada entre as pessoas, pois pode trazer graves consequências à saúde, inclusive com risco de morte. Manter a saúde em boa forma passa por medidas educacionais de alimentação, adoções de hábitos de vida saudável, como práticas de exercícios físicos regulares, e visitas periódicas aos profissionais de saúde para prevenção e tratamento de doenças. Diferentemente da automedicação, à adesão ao tratamento de doenças como diabetes, colesterol e triglicérides elevados, e hipertensão arterial, aliados a mudança do estilo de vida, constitui-se em meio eficiente na redução de mortalidade. Em visita ao Brasil em meados do ano passado, o professor e pesquisador espanhol, residente nos Estados Unidos, Valentin Fuster, tinha como tema principal de sua aula a ser ministrada aos médicos brasileiros cardiologistas, “Perspectivas para a medicina no ano de 2020”. Para surpresa de muitos dos profissionais presentes, que esperavam uma aula onde se abordasse novos marcadores de doença, ou novas tecnologias da área médica, o Professor Fuster levantou a questão da necessidade de aumentar à adesão ao tratamento como meta de combate às doenças, com base nos avanços médicos atuais já adquiridos, sem priorizar novas invenções. O que o Professor Fuster disse é que já avançamos bastante em termos de aparelhagem e tecnologia médica, mas que agora precisamos fazer uso deste conhecimento e adotar medidas que aumentem a adesão dos pacientes para o uso de medicamentos já disponíveis, especialmente nas situações que requeiram uso prolongado, tais como o tratamento da hipertensão arterial. É importante salientar que os avanços tecnológicos, nem sempre disponíveis para grande parte da população, são importantes para o diagnóstico precoce de diversas doenças, mas, é no campo da prevenção, onde estão as maiores possibilidades de prolongar a expectativa de vida, e isto, pode estar disponível, inclusive, para as classes sociais menos favorecidas, pela adoção de alimentação saudável e práticas regulares de exercícios físicos.