Categoria: Informativo

Setembro vermelho

Dada a importância das doenças cardiovasculares em termos de saúde pública e a sua alta prevalência, inclusive em termos de mortalidade, o mês de setembro ganhou a cor vermelha, SETEMBRO VERMELHO, para simbolizar a importância da prevenção dos fatores de risco cardiovasculares (estresse, sedentarismo, obesidade, hipertensão arterial, diabetes, tabagismo, etc) na redução de eventos (infarto do miocárdio, angina, acidente vascular cerebral, etc).

SETEMBRO VERMELHO coloca em evidência a importância na mudança do estilo de vida para preservação da saúde. Inclui-se dieta adequada, pobre em sal e gorduras saturadas (especialmente objetivando reduzir alimentos processados, industrializados, ricos em sódio e gordura como os queijos amarelos, etc), prática de exercícios físicos regulares, combate ao estresse inclusive do ambiente de trabalho, higiene do sono (redução de iluminação e ruídos excessivos no momento de dormir, uso de tablets e celulares em horários de repouso, aparelhos de TV no quarto, etc) e combate ao tabagismo e a obesidade.

SETEMBRO VERMELHO chama a atenção para a prevenção dados os inúmeros riscos para a saúde. A saúde é uma conquista diária que deve ser preservada a todo custo, de todas as formas, das inúmeras agressões que a vida moderna nos proporciona.

 

O que é preciso saber sobre infarto agudo do miocárdio?

O que é o infarto agudo do miocárdio?

O miocárdio é o musculo do coração que trabalha bombeando o sangue para todo o organismo. O coração para exercer sua função de bomba recebe os nutrientes, entre eles, o oxigênio, por meio das artérias coronárias. Assim quando ocorre uma parada no suprimento destes nutrientes ao coração devido a algum entupimento da artéria coronária, o músculo cardíaco entra em sofrimento e algumas de suas células começam a morrer, o que caracteriza o infarto agudo do miocárdio.

Quais são os sintomas do infarto?

O principal sintoma é o aparecimento de dor no peito, súbita e intensa, como se tivéssemos sofrido um aperto, uma sensação de peso, associada muitas vezes a suor frio, náuseas e/ou vômitos. A dor pode subir pelo ombro, braço esquerdo ou costas.

Quais são as pessoas que apresentam maiores chances de ter um infarto?

As pessoas com maior risco para o infarto agudo do miocárdio são aquelas que apresentam os chamados fatores de risco para a doença da artéria coronária, tais como diabetes, pressão arterial alta, tabagismo, colesterol elevado, sedentarismo, idade avançada, história de infarto na família, obesidade, estresse diário, entre outros.

O que devemos fazer diante de uma pessoa com sintomas sugestivos de infarto?

Devemos inicialmente tranquiliza-la e imediatamente procurar assistência médica no pronto socorro mais próximo de sua residência.

O infarto pode ser prevenido?

A adoção de medidas preventivas pode reduzir muito o risco de infarto, especialmente aquelas relacionadas à mudança do estilo de vida. Assim, abandono do vício de fumar, prática diária de exercício físico, alimentação adequada evitando gorduras e priorizando verduras e legumes, constituem-se em hábitos saudáveis.

Pratique saúde, converse com seu médico e tire suas dúvidas!

O que é preciso saber sobre angina do peito?

O que é angina do peito?

Angina é uma palavra do latim, angor, o mesmo que dor. No caso, angina do peito refere-se a dor proveniente do coração. A angina acontece quando o coração entra em sofrimento temporário devido uma diminuição no suprimento de nutrientes importantes para seu trabalho de bombeamento. Os nutrientes, entre eles, o oxigênio, são transportados para o coração através das artérias chamadas coronárias. Quando a interrupção neste suprimento é incompleta, o paciente apresenta angina do peito. Nos casos da interrupção completa, ocorre o infarto agudo do miocárdio.

Como as pessoas podem perceber que estão com angina?

As pessoas podem perceber que estão com angina quando apresentam sensação de dor no peito, aperto, sufocamento, falta de ar ou fôlego curto, com duração de até 10 a 15 minutos. Na maioria das vezes, a angina ocorre após algum esforço físico, podendo, entretanto, aparecer mesmo em repouso, sendo neste caso, mais grave. Pode estar associada a suor frio, palidez, náuseas e/ou vômitos. A dor pode se localizar no ombro, braço esquerdo ou costas.

Quais são as pessoas que apresentam maiores chances de ter angina?

As pessoas com maiores possibilidades para terem angina são aquelas que apresentam os chamados fatores de risco para doença da artéria coronária, tais como pressão arterial alta, colesterol elevado, tabagismo, sedentarismo, história de infarto na família, obesidade, estresse diário, idade avançada, diabetes, entre outros.

O que devemos fazer diante uma pessoa com angina do peito?

Devemos tranquilizá-la e imediatamente procurar o serviço médico mais próximo.

O que pode acontecer a uma pessoa com angina se não adequadamente tratada?

Se uma pessoa com angina não for adequadamente tratada ela pode ter um infarto e até morrer.

A angina pode ser prevenida?

À semelhança de outras doenças, como o próprio infarto, a adoção de medidas preventivas, especialmente aquelas relacionadas à mudança do estilo de vida, constitui-se na forma mais eficiente de evitar o aparecimento da angina.

Deixe o seu coração bater com saúde. Faça prevenção!

Anticoagulação (TP/INR)

Pacientes portadores de arritmias cardíacas, ou determinadas próteses valvares cardíacas e mesmo, doença aterosclerótica obstrutiva grave, etc. necessitam de anticoagulação contínua (deixar o sangue mais fino como é dito popularmente), a fim de prevenir eventos embólicos (coágulos que se formam no coração e ganham a corrente sanguínea), como o desenvolvimento de acidente vascular cerebral, trombose arterial de membros, cegueira, etc. Assim, estes pacientes recebem anticoagulação com medicação oral a base de warfarina sódica (marevanR, coumadinR) e requerem controles do nível da anticoagulação através de exames laboratoriais periódicos (TP= tempo da atividade da protrombina e RNI= razão normalizada internacional), conforme orientação médica.

Os pacientes recebendo anticoagulação oral com warfarina sódica devem anotar seus controles de doses diárias e valores de INR obtidos laboratorialmente em folhas de controle próprio (vide exemplo abaixo) afim de manter ajuste fino e adequado de sua anticoagulação, permitindo ao médico assistente intervenções nas doses diárias quando os ajustes da anticoagulação forem necessários.